Design thinking, o que é?

https://www.plotcontent.com/wp-content/uploads/2016/04/designthinking1.jpg

Atualmente, vivemos uma época onde é permitido e exigido solucionar problemas através de elementos intuitivos e inspiradores para inovar os negócios. Assim surge o design thinking, um modelo de pensamento criativo apoiado em três pilares: empatia, colaboração e experimentação para pessoas, negócios e sociedade.

Fomos procurar algumas interpretações do que é o design thinking e encontramos diferentes perspectivas.

Design thinking é essencialmente um processo de inovação centrado no ser humano que enfatiza a observação, colaboração, aprendizagem rápida, visualização de ideias, construção rápida de protótipos de conceitos e análise da concorrência, para influenciar a inovação e a estratégia na área dos negócios.

Thomas Lockwood (2009)

É um processo criativo baseado na construção de ideias, sem julgamento prévio, no qual se elimina o medo de falhar e se encoraja a máxima absorção e participação dos indivíduos no processo de resolução de problemas.

Gursel Ilipinar (2008)

Design thinking is a human-centered approach to innovation that draws from the designer’s toolkit to integrate the needs of people, the possibilities of technology, and the requirements for business success.”

Tim Brown (2009)

Tim Brown, um dos fundadores da consultora de inovação norte-americana IDEO, reforça ainda as habilidades dos designers na utilização da intuição; reconhecimento de padrões; construção de ideias com significado emocional e funcional, expressando-se através de palavras ou símbolos. Reforça ainda as habilidades de trabalhar de forma interdisciplinar – isto é, misturando as valências de várias disciplinas – e não somente multidisciplinar, na qual cada indivíduo defende a sua própria especialidade técnica. Na interdisciplinar existe “uma propriedade de ideias colectivas e todos são responsáveis por elas”, por isso, é comum encontrar designers a trabalhar com psicólogos, etnógrafos ou engenheiros, de forma integrada, na qual todos pensam sobre o problema e tentam alcançar a melhor solução.

Porquê de um processo não linear?

O processo multifásico e não linear permite experimentar novos caminhos e estar aberto a novas alternativas. Ao mesmo tempo, o erro gera uma prática que o ajuda a evoluir e a identificar oportunidades para a inovação. No processo de design thinking, todas as ideias são válidas – “adia o julgamento” é uma das frases chave do processo.

Uma vez que uma ideia passa a existir, ela não pode ser ignorada. Há um quê de imortalidade na nova ideia.

Edward de Bono

O design thinking refere-se à forma como o designer pensa, utilizando um tipo de raciocínio pouco convencional no meio empresarial, ao qual se chama pensamento abdutivo, um conceito desenvolvido originalmente por Charles Sanders Peirce. O pensamento abdutivo permite que design thinkers explorem possibilidades olhando para o futuro, enquanto analisam oportunidades olhando para o passado.

A abdução é um processo para formar hipóteses explicativas. A dedução prova algo que deve ser, a indução mostra algo que atualmente é operatório, já a abdução faz uma mera sugestão de algo que pode ser. O raciocínio abdutivo são as hipóteses que formulamos antes da confirmação (ou negação) do caso.

Charles Pierce (1975)

Em resumo

O design thinking apoia-se nos seguintes princípios:

  • Centra-se no ser humano;
  • Implica uma observação profunda das pessoas;
  • Exige um pensamento abdutivo e não linear.
  • Começa por pesquisa de campo (entrevistas, observação, etc.) para recolher insights dos consumidores;
  • Exige empatia e colaboração multidisciplinar para ter visões 360º;
  • Experimentação e criação de protótipos rápidos – o objectivo é testar potencial das ideias e antecipar falhas;
  • Criação de espaços visuais para reunir materiais de pesquisa, fotos, storyboards, conceitos e protótipos disponíveis permanentemente para a equipa.

Na Plot, utilizamos esta abordagem na primeira fase do nosso processo de desenvolvimento de estratégias integradas de conteúdo. Ou seja, na fase de observação da marca e consumidor, utilizamos algumas técnicas para aprofundarmo-nos no tema e gerar soluções inovadoras para os nossos projectos. Para saber mais sobre como utilizamos o design thinking na Plot, veja melhor este artigo xx.

Por Mariana Krug, Design Thinker, Plot Content Agency


Subscreva já
The Plot Thickens
Para ter acesso exclusivo aos melhores conteúdos de content marketing, só tem que preencher estes dois campos.
*Odiamos spam e não partilhamos os seus dados com ninguém
Marque já um
Pequeno-almoço
Somos famosos pelos nossos pequenos-almoços. Deixe o seu nome e e-mail e nós entraremos em contacto consigo para lhe perguntar sobre que temas quer falar.
Na Plot não há spam nem partilha de dados com ninguém.
Venha conhecer a
nossa agência
Marcamos uma hora para lhe apresentar a nossa fantástica equipa editorial, os nossos designers, os especialistas em digital e em content marketing.
Na Plot não há spam nem partilha de dados com ninguém.